segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Destino (?)

“Enquanto você não fizer o inconsciente consciente, isso irá controlar sua vida e você chamará de destino.” (Jung)

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sometimes

“A palavra mais ofensiva e a carta mais grosseira são melhores e mais educadas que o silêncio.”
(Nietzsche)


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Despenteado, o Crisântemo


"O crisântemo é de alegria profunda. Fala através da cor e do despenteado. É flor que descabeladamente controla a própria selvageria. (...)
(...) Tenho que interromper porque – eu não disse? Eu não disse que um dia ia me acontecer uma coisa? Pois aconteceu agora mesmo."

(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)


terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Victoria amazônica

"Vitória-régia está no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Enorme e até quase dois metros de diâmetro. Aquáticas, é de se morrer delas. Elas são o amazônico: dinossauro das flores. Espalham grande tranquilidade. A um tempo majestosas e simples. E apesar de viverem no nível das águas elas dão sombras. Isto que estou escrevendo é em latim: de 'natura florum'. Depois te mostrarei o meu estudo já transformado em desenho linear."

(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)


E em minha casa, não na janela.

"Gerânio é flor de canteiro de janela. Encontra-se em São Paulo no bairro do Grajaú e na Suíça."

(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Edelvais: Inalcançável

"Estou com preguiça de falar da edelvais. É que se encontra à altura de três mil e quatrocentos metros de altitude. É branca e lanosa. Raramente alcançável: é a aspiração."

(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)


A suculenta Flor de Cáctus

"Quanto à suculenta flor de cáctus, é grande e cheirosa e de cor brilhante. É a vingança sumarenta que faz a planta desértica. É o esplendor nascendo da esterilidade despótica."

(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)

domingo, 17 de fevereiro de 2013

A perigosa Dama-da-noite


"Dama-da-noite tem perfume de lua cheia. É fantasmagórica e um pouco assustadora e é para quem ama o perigo. Só sai de noite com seu cheiro tonteador. Dama-da-noite é silente. E também da esquina deserta e em trevas e dos jardins de casas de luzes apagadas e janelas fechadas. É perigosíssima: é um assobio no escuro, o que ninguém aguenta. Mas eu aguento porque amo o perigo."
(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)


A estrela Estrelícia

"Estrelícia é masculina por excelência. Tem uma agressividade de amor e de sadio orgulho. Parece ter crista de galo e o seu canto. Só que não espera pela aurora. A violência de tua beleza."

(Clarice Lispector, do Livro Água Viva)